Obax

Texto e ilustrações de André Neves. Rio de Janeiro/RJ: Brinque-Book, 2010. Quando o sol acorda nos céu das savanas, uma luz fina se espalha sobre a vegetação escura e rasteira. O dia aquece… Continuar lendo

Numeral

Kakao Braga Um múrmuro. Um suspiro. Um lamento. E você chama a sua mãe, mesmo sabendo que ela não vai responder. Só pelo simples fato da palavra te confortar. Da escuridão azul marinho… Continuar lendo

Amoooor!!!

Kakao Braga − Oi. Só liguei para saber como você está. Me liga, vai. * − Como você não respondeu a minha ligação, fiquei preocupado. Não é porque você quis um tempo, que… Continuar lendo

Descendo

Kakao Braga Quando me interesso por um tema, procuro em livros, vasculho a internet até encontrar todas as informações sobre o assunto. Ou quase. Você sabia que em São Paulo existem mais de… Continuar lendo

Sabor de Vó

Kakao Braga Era aniversário de alguém. Não sei bem quem, mas era. Sempre, e só, em datas especiais vó Naninha que conhecia bem os segredos das panelas fazia a receita mais tradicional da… Continuar lendo

Véus Escarlates

Kakao Braga Estava num canto. Encolhida. Tinha medo de se mexer. Quando os véus rubros começaram a deslocar-se no ar num movimento lento calculado. De lá pra cá. Daqui pra lá. A sensação… Continuar lendo

Controle Remoto

Kakao Braga Existe um momento em que você precisa tomar as rédeas de sua vida. Como? Se nem consigo distinguir uma estação da outra? Não sei nem pra que time torcer. Não sou… Continuar lendo

Ode à Vida

Kakao Braga Todos nós vamos morrer Um dia. Uns mais cedo, outros nem tanto, mas é o destino de todos. A morte é a única coisa realmente democrática. Morre-se antes mesmo de morrer… Continuar lendo

Rapidez

Kakao Braga A neblina no abismo encobre paisagens, acoberta povos desbota o brilho passa, processa e espalha sombras Súbita e repentina Desembrulha o tempo É pisca não pisca A epidemia do presente A espiral perdida… Continuar lendo

Vento

Kakao Braga Aflorou forte Avermelhou a face Vedou os ouvidos Invadiu a vestimenta Fragmentou vestígios Vendaval Revolveu a vila Violou o verbo, Feriu a verso Danificou a fantasia E findou vaporoso Numa lufada… Continuar lendo